Bookmark and Share
Assistimos estrangeiros que pretendem imigrar para Portugal.
Ao contrário do que emerge da media brasileira, Portugal é, talvez, ainda mais interessante depois da crise financeira que o afeta do que era antes.
A vida é baratíssima, em comparação com a do Brasil e o país dispõe de um excelente sistema de saúde e de um sistema de ensino muito mais evoluído do que o do Brasil, ambos públicos e com custos muito baixos.
Há dezenas de milhar de apartamentos para venda, por preços muitos baixos, comparados com os do Brasil.
Esta realidade gerou um novo fluxo migratório, especialmente de estudantes e pessoas na idade madura. Mas também de trabalhadores autônomos indiferenciados que conseguem gerar em Portugal rendimento superior ao que obtém no Brasil.
Porém nem tudo são rosas.
Cada vez mais pessoas enfrentam a desilusão, porque não planficaram bem as suas mudanças.
Mudar de um país enorme como é o Brasil para um país pequenino como é Portugal exige um planeamento cuito cuidadoso e um período de experiência que permita demonstrar que é mesmo isso que a pessoa quer.
Portugal pode ser um paraiso para aposentados e um excelente lugar para quem queira crescer no mercado europeu.
Mas não é, inequivocamente, o lugar ideal para quem procure um emprego, mesmo que seja um profissional qualificado.
A lei não permite que as empresas contratem estrangeiros se houver cidadãos da União Europeia que possam preencher o posto de trabalho oferecido.
Há sempre argumentos para os casos excecionais, como aquele barman que fazer a única caipirinha que o dono do restaurante de Lisboa queria.
Mas as exceções não fazem a regra.
Antes de se envolver na aventura, planfique bem com quem sabe.
E não esqueça que Portugal tem uma das cargas fiscais (cargas tributárias) mais elevadas da Europa.